#Live – Como comecei a estudar a fáscia?

Para que você compreenda a importância que dei ao treinamento fascial, vou contar um pouco da minha experiência no Karatê. Eu tinha uma inquietação que não conseguia identificar, mas ela ficou bem clara quando eu comecei os estudos sobre a fáscia.

 

Em 1998, tive primeiro contato se iniciou com os estudos sobre o método Rolfing®, criado pela PhD e bioquímica Ida P. Rolf, por meio do livro Integração Estrutural, escrito por ela. Rolf trouxe para mim que o corpo é uma unidade. Ao vivenciar as primeiras sessões do método, eu percebi a relação de uma parte do corpo com outras. Vi o corpo como um sistema vivo e integrado. Experimentei uma suavidade de movimentos que eu não conhecia mais. Digo isso, porque quando somos mais jovens temos essa variabilidade de posturas na vida. Compreender a fáscia me trouxe esse olhar de volta.

E a partir disso comecei a pensar como essa temática da fáscia poderia estar ligada ao Karatê e outras atividades físicas. E, realmente, ela está.

Antes, disso, eu achava que tudo era força, mas não. Há uma força na própria estrutura corporal. O tecido conjuntivo é uma potência de movimento elástico do corpo e não apenas os músculos. O gesto é uma continuidade de movimentos. O gesto ultrapassa a noção de força. Ela transmite a força. Os exercícios para o treinamento da fáscia ajudam a ajustar a força necessária para cada gesto motor.

São 21 anos de estudos dedicados ao aprofundamento de pesquisas relacionadas à fáscia e ao movimento. A maioria das pesquisas ainda é realizada fora do Brasil e eu faço questão de estar em contato com todas para continuidade da minha missão: a disseminação do conhecimento da relação da fáscia com o movimento aqui em nosso país.  

Eu convido você a compreender essa experiência e ter um primeiro contato com o assunto em nossos grupos de estudos.

Quartas, às 11h, presencial

Quinta, às 14h.

Mas se você não estiver em São Paulo, você pode nos enviar um email informando sobre seu interesse. 

Aproveito também para fazer um convite especial. Em setembro de 2019 teremos um grande congresso em São Paulo, o Fascia Experience. Uma experiência única. Não perca! Clique aqui para mais informações.

4 comentários em “#Live – Como comecei a estudar a fáscia?”

  1. Olá Johannes.
    Sou prof. de Educação Física e bailarina. Assim o movimento sempre esteve presente em minha vida.
    Através da professora Janaína Cintas em um curso sobre as Cadeias Musculares, e um outro sobre Biomecânica aplicada ao Pilates, cerca de +ou – dois anos atrás mensionou sobre a importância das fáscias.
    De lá para cá venho estudando sobre o assunto que hoje reconheço sua enorme importância.
    Quero muito participar do grupo de estudos e em breve concluir uma formação mais sólida.
    Acredito que viveremos muitas descobertas relacionadas ao movimento através das fáscias.
    Parabéns. Você possui uma linda missão.

Deixe um comentário